InícioEleiçõesReino Unido: Sunak lidera disputa para suceder Truss;

Reino Unido: Sunak lidera disputa para suceder Truss;

Johnson ainda não definiu se concorrerá

O ex-chefe do Tesouro britânico Rishi Sunak aparece neste domingo como favorito na corrida do Partido Conservador para substituir Liz Truss como primeira-ministra, ao obter o apoio público de mais de 100 legisladores conservadores, estabelecendo-se à frente de seus dois principais rivais – o ex-primeiro-ministro Boris Johnson e a ex-ministra Penny Mordaunt.

Mas a incerteza generalizada permanece depois que a mídia britânica informou que Sunak havia conversado com Johnson tarde da noite deste sábado, 22, e especulações sugeriram que a dupla poderia chegar a um acordo para unir o fraturado partido governista, que ficou abalado com a rápida queda de Truss.

O Partido Conservador ordenou uma disputa que visa obter as indicações até esta segunda-feira, 24, e definir um novo primeiro-ministro – o terceiro deste ano – dentro de uma semana.

Sunak confirmou neste domingo que está concorrendo na corrida pela liderança. Ele tem o apoio de pelo menos 124 parlamentares conservadores, de acordo com registros não oficiais da BBC e da Sky News. Esse número é superior às 100 indicações necessárias para se qualificar.

“Haverá integridade, profissionalismo e responsabilidade em todos os níveis do governo que lidero e trabalharei dia após dia para fazer o trabalho”, disse Sunak em comunicado.

Mordaunt obteve o apoio público de cerca de 24 parlamentares, enquanto Johnson, que não declarou se está concorrendo, tem cerca de 50 até agora. O legislador Jacob Rees-Mogg disse à BBC neste domingo que conversou com Johnson e “claramente ele vai se apresentar”.

O retorno de Johnson, que foi forçado a deixar o cargo apenas algumas semanas atrás por uma série de escândalos éticos, dividiu os conservadores e adicionou imprevisibilidade na corrida. Apoiadores dizem que ele é um vencedor de votos e tem apoio suficiente dos legisladores, mas muitos críticos alertam que outro governo de Johnson seria catastrófico para o partido e o país.

O ministro da Irlanda do Norte, Steve Baker, um ex-apoiador de Johnson e político influente dentro do Partido Conservador, alertou que um retorno de Johnson seria um “desastre garantido”, porque ele ainda enfrenta uma investigação sobre se mentiu para o Parlamento enquanto estava no cargo, o que poderia levar à sua suspensão como legislador. “Este não é o momento para Boris e seu estilo”, disse Baker à Sky News neste domingo. “O que não podemos fazer é tê-lo como primeiro-ministro em circunstâncias em que ele está fadado a implodir, derrubando todo o governo, não podemos fazer isso de novo”.

Truss renunciou na quinta-feira, 20, após 45 dias turbulentos, admitindo que não conseguiu cumprir seu pacote econômico de corte de impostos, que foi forçada a abandonar depois que provocou fúria em seu partido.

Dezenas de parlamentares, entre os 357 conservadores da Grã-Bretanha, ainda não declararam publicamente quem estão apoiando para substituir Truss.

Mordaunt e Johnson – se ele confirmar que está concorrendo – têm até segunda-feira à tarde para angariar 100 indicações. Se todos os três atingirem esse limite, os parlamentares votarão para eliminar um e, em seguida, realizarão uma votação indicativa nos dois finalistas. Os 172 mil membros do partido poderão então decidir entre os dois finalistas em uma votação online. O novo líder deve ser escolhido até sexta-feira, 28.

Informação: Associated Press.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e a Política de Privacidade e os Termos de Serviço do Google se aplicam.

Últimas Notícias

Publicidadespot_img
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE