Autor: José Marcelo | jornalistamarcelo@gmail.com
InícioColuna Ponto e VírgulaVídeo de Barbosa tem impacto na campanha de Bolsonaro e nova denúncia...

Vídeo de Barbosa tem impacto na campanha de Bolsonaro e nova denúncia pode influenciar último debate

Desânimo e decepção

As notícias não têm sido boas para o núcleo de campanha à reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) e o mais recente dissabor foi o vídeo gravado pelo ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, em apoio à candidatura do ex-presidente Lula. Um membro do núcleo da campanha de Bolsonaro confidenciou à coluna, sob sigilo, que o vídeo causou desânimo na equipe e magoou o presidente não pelo apoio em si, mas pela forma com que Barbosa referiu-se a ele: “não é um homem sério” e “não serve para governar um país como o nosso”. Entre os marqueteiros, segundo a fonte, o vídeo é o maior evento a favor do petista, até o momento e isso se deve a um conjunto de fatores.

Golpe na campanha

O apoio de Barbosa foi avaliado como golpe na campanha bolsonarista, segundo a fonte, porque o ministro foi o relator do processo do Mensalão, apontado pelos adversários do petista como um dos maiores escândalos da recente história da política brasileira. O temor, segundo o comunicador que falou à coluna, é de que o eleitor chegue à conclusão de que se Barbosa prefere passar por cima do passado para evitar que Bolsonaro seja eleito, é sinal de que o ideal seria fazer o mesmo, no domingo. Além de relator do Mensalão, Barbosa também votou pela prisão de vários acusados de participação no esquema.

Telhado de vidro

Outro assunto que segundo a fonte foi um golpe no ânimo da equipe foi a notícia que levanta suspeitas sobre um suposto pagamento de despesas pessoas da família Bolsonaro, no gabinete da Presidência da República. O temor é que o assunto seja juntado a outros casos, como o dos imóveis, para calar Bolsonaro no debate da TV Globo, nesta quinta-feira. O presidente está sendo treinado, segundo a fonte, para desviar do tema, quando pressionado, e está sendo reavaliada a tática de abordar os casos de corrupção do PT, por causa do que vem se consolidando como um telhado de vidro do candidato do PL.

**

Canal de denúncias

Representantes do PT, PV, PCdoB, PSOL, Rede, PSB, Avante, Agir e Pros solicitaram à Justiça Eleitoral a criação de um canal de denúncias de violência política. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) alertou que estas eleições são atípicas pela polarização. Segundo ele, o TSE já pediu reforço das Forças Armadas e das policiais estaduais nesta reta final de campanha e no dia das eleições.

**

Fiscalização com drones

Nesta quarta-feira a Polícia Federal realizará uma demonstração sobre o uso de drones na fiscalização das eleições de 2022. Será no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Serão utilizadas três aeronaves remotamente pilotadas que vão sobrevoar as principais zonas eleitorais, ajudando na fiscalização e no combate a crimes como boca de urna e transporte ilegal de eleitores, por exemplo. Os drones têm tecnologia de ponta e podem se tornar imperceptíveis ao voar em elevada altitude.

Zoom potente

Os equipamentos que a PF vai utilizar têm câmeras capazes de dar zoom suficiente para identificar suspeitos, placas de veículos, entrega de santinhos e situações de compra de votos, com imagens de alta nitidez. As imagens capturadas serão transmitidas a uma equipe da Polícia Federal, que estará preparada para monitorar todas as eleições e adotar as medidas cabíveis diante de atividades suspeitas.

**

Não pode tudo

Não é um “libera geral”, mas já está em vigor a regra que determina que eleitores e candidatos não poderão ser presos até dois dias depois das eleições. A chamada imunidade eleitoral, no entanto, não vale para quem for pego em flagrado cometendo crime; ou haja contra ele sentença criminal condenatória por crime inafiançável; ou ainda por desrespeito ao salvo-conduto de outros eleitores, criando, por exemplo, constrangimentos à liberdade de votar. Neste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proibiu armas de fogo num raio de 100 metros de qualquer seção eleitoral, inclusive para quem possui permissão para o porte. A vedação vigora nas 48 horas que antecedem o pleito até as 24 horas que o sucedem.

**#**

ARTIGOS RELACIONADOS

1 COMENTÁRIO

  1. oq esse senhor fala, não impacta em nada os eleitores de BOLSONARO!
    peso 0.
    VAMOS MUDAR O SENADO, OS GOVERNOS ESTADUAIS E AS CÂMARAS!
    NÃO ANULE SEU VOTO, SEJA BRASILEIRO!!!
    LEVE SUA COLA PRONTA.
    EVITE DEIXAR CARGO EM BRANCO.
    EM 2022, A SEQUÊNCIA DE VOTAÇÃO SERÁ A SEGUINTE: DEPUTADO FEDERAL; DEPUTADO ESTADUAL; SENADOR, GOVERNADOR E PRESIDENTE.

    RELAÇÃO DOS PARTIDOS APOIADORES DE BOLSONARO:
    P.L. 22
    P.P. 11
    P.T.B. 14
    REPUBLICANOS 10
    é JAIR ou já era!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e a Política de Privacidade e os Termos de Serviço do Google se aplicam.

Últimas Notícias

Publicidadespot_img
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE