InícioBrasilPesquisa revela que 9,3% da população se identifica como LGBTQIAP+

Pesquisa revela que 9,3% da população se identifica como LGBTQIAP+

Dos entrevistados que se declaram membros da comunidade, a maior concentração são de jovens de 16 a 24 anos (18%)

Uma nova pesquisa do Instituto DataFolha, divulgada nesta quarta-feira, 21, concluiu que 9,3% da população brasileira se identifica como LGBTQIAP+ no Brasil. A pesquisa entrevistou 3.674 pessoas, a partir de 16 anos, em 120 municípios das 5 regiões brasileiras. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Dos entrevistados que se declaram membros da comunidade, a maior concentração são de jovens de 16 a 24 anos, com 18% dos entrevistados. E a medida que os grupos são classificados como pessoas mais velhas, essa porcentagem vai reduzindo. O total de jovens é três vezes maior comparado ao grupo de idosos a partir de 60 anos, que representam apenas 5,3% dos entrevistados.

O presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT), Gustavo Coutinho, cita alguns fatores que explicam a predominância de jovens se declarando como LGBTs. “Sobretudo a compreensão de que muitos direitos foram conquistados com a visibilidade pública comunicação também foi conquistada então tudo isso provoca uma mudança e contribui pra uma mudança de como se relacionar com a sexualidade, como como se relacionar eh com o mundo também a partir desse lugar”, afirmou Coutinho.

Outros fatores que podem explicar o baixo número de pessoas mais velhas é a violência cometida contra pessoas da comunidade. Por exemplo, a expectativa de vida de pessoas transexuais é de apenas 35 anos de idade. “Nós vemos as pessoas nesse segmento envelhecerem por conta não só da violência – que ainda é brutal no nosso país – mas também diversos fatores como a falta de acesso a educação, saúde e serviços de uma maneira geral”, reforçou o presidente da ABGLT.

A diferença de pessoas da comunidade entre as regiões do Brasil não foi muito grande. A região com maior concentração de pessoas LGBT é o Centro-Oeste, com 10,1%, seguida do Sudeste com 9,9%. O perfil tende a ter uma maior diferença entre capitais e regiões metropolitanas, com 10,9%, em comparação em cidades do interior, 8,2%.

Sobre orientação sexual, 2,7% dos entrevistados se identificaram como bissexuais, 1,6% como gays, 1,5% como pessoas trans e travestis, 1,2% como lésbicas e 0,9% se disseram assexuais, a mesma proporção dos pansexuais. Outros 0,4% não quiseram responder e 0,1% não se identificaram em nenhuma das alternativas.

Em maio, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou pela primeira vez uma pesquisa semelhante para contabilizar as pessoas da comunidade. Porém, levantamento do IBGE apresenta dados menores que as do DataFolha, com menos de 2% da população como gays ou bissexuais. No entanto, especialistas classificam a pesquisa como frágil já que ela excluiu pessoas transsexuais.

Com informações da Folha de S. Paulo

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias

Publicidadespot_img
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE