InícioEntretenimentoCelebridadesGrávida depois dos 50: Cláudia Raia anuncia gestação rara

Grávida depois dos 50: Cláudia Raia anuncia gestação rara

Entenda quais as chances de engravidar depois dos 50

“Quando a médica me pediu um beta, um exame de sangue de gravidez, eu falei: ‘Amor, você tá bem louca, de onde você tirou isso? Eu tenho 55 anos de idade’”, contou a atriz Claudia Raia em stories do Instagram. Nesta segunda-feira, ela anunciou que está esperando o terceiro filho, fruto de sua união com o também ator Jarbas Homem de Mello. Claudia Raia já tem Enzo e Sophia, de seu casamento com Edson Celulari. O pedido do exame aconteceu, segundo ela, porque a médica que a atende percebeu que os indicadores de seus exames estavam “estranhos”.

O Ministério da Saúde considera que uma gravidez já pode ser classificada como de risco quando a mãe tem mais de 35 anos, o que requer atenção especial das equipes responsáveis pelo pré-natal e pelo parto. Segundo o registro de Nascidos Vivos do Datasus, das 8.524.223 crianças nascidas entre 2018 e 2020 no Brasil, 1.249 tinham mães acima dos 50 anos, – o que equivale ao pequeno porcentual de 0,014% dos casos.

De 2010 a 2018, esse número ficou em uma média de 342 por ano, subindo para 412 em 2019 e 440 em 2020. Mas a probabilidade de uma gravidez assim ocorrer de forma espontânea é considerada remota. “Acima de 50 anos, a chance é de 0,1%, uma em cada mil mulheres”, explica Rodrigo Rosa, médico ginecologista especialista em Reprodução Humana e membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA).

Em 2020, Claudia Raia revelou que havia congelado alguns de seus óvulos e que tinha vontade de ser mãe novamente. No anúncio de sua gravidez nas redes sociais, ela se mostra surpresa com a descoberta, o que deixa dúvidas sobre se teria engravidado naturalmente ou se passou pelo procedimento de fertilização in vitro.

Rosa relata que, após os 50 anos de idade, a mulher que procura uma clínica de reprodução assistida passa por um parecer do Conselho Federal de Medicina antes de poder realizar um procedimento para engravidar. “Ela precisa ter uma avaliação médica mostrando que está apta à gestação. Então, essa mulher pode fazer a fertilização in vitro com os seus próprios óvulos previamente congelados ou tratamento com óvulos doados, que é mais comum”, afirma.

Com Estadão.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias

Publicidadespot_img
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE