InícioPolíticaMinistra Carmen Lúcia pede a PGR análise de indícios de interferência de...

Ministra Carmen Lúcia pede a PGR análise de indícios de interferência de Bolsonaro em investigação no MEC

Caberá a Procuradoria Geral da República apontar de se há indícios de materialidade e autoria do crime.

A Ministra Carmen Lúcia quer que a Procuradoria Geral da República analise o quanto antes as suspeitas de que o presidente Jair Bolsonaro interferiu nas investigações de corrupção e tráfico de influência no Ministério da Educação.

Agora, caberá à PGR avaliar se há elementos para abrir uma manifestação formal contra Bolsonaro, como explica o advogado criminalista Romualdo Oliveira.

“Nada mais é do que pedir que o procurador avalie as provas já existentes para saber se houve ou não interferência do Presidente e havendo indícios, se houver fato típico, cabe ao procurador oferecer a denuncia. Ele é o responsável pelo oferecimento da denuncia nesses casos específicos. Dessa forma, caberá ao STF aceitar ou não a denuncia”, explicou Oliveira.

A Polícia Federal apura o favorecimento de pastores na distribuição de verbas da pasta. Segundo interceptação telefônica feita pela Polícia Federal, o ex-ministro da educação Milton Ribeiro disse a uma filha que Bolsonaro havia lhe relatado “pressentimento” de que o ex-ministro poderia ser usado para atingir o presidente.

A conversa entre o ministro e a filha foi registrada no dia 9 de junho , dias antes da operação, e durou cerca de três minutos.

  • Ministro para a filha: “A única coisa meio… hoje o presidente me ligou… ele tá com um pressentimento, novamente, que eles podem querer atingi-lo através de mim, sabe? É que eu tenho mandado versículos pra ele, né?”
  • Filha pergunta: “Ele quer que você pare de mandar mensagens?”
  • Ministro responde: “Não! Não é isso… ele acha que vão fazer uma busca e apreensão… em casa… sabe… é… é muito triste. Bom! Isso pode acontecer, né? Se houver indícios, né?”.

Milton Ribeiro chegou a ser preso durante operação da Polícia Federal, mas ele e os demais suspeitos foram soltos. O Cientista Político, Rócio Barreto explica que este pedido da ministra provoca mais um desgaste para o presidente.

“Neste caso, existe materialidade da participação do presidente que no início da investigação tinha uma confiança grande no ministro e hoje já não tem mais. O próprio ministro em conversa com a filha diz que o presidente o avisou de uma possível busca e apreensão e também da própria prisão dele pela pf”, esclareceu Barreto.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e a Política de Privacidade e os Termos de Serviço do Google se aplicam.

Últimas Notícias

Publicidadespot_img
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE