InícioMundoDivulgada a primeira imagem do buraco negro no Centro da Via Láctea

Divulgada a primeira imagem do buraco negro no Centro da Via Láctea

Astrônomos divulgam primeira representação visual do buraco negro Sagitário A*, localizado a 27 mil anos-luz da Terra

Um time internacional de astrônomos divulgou nesta quinta-feira, 12, a primeira imagem do buraco negro supermassivo no centro da Via Láctea, conhecido como Sagitário A* (Sgr A*). A imagem foi obtida a partir de uma rede de oito radiotelescópios espalhados pelo mundo, incluindo o Alma, no Chile.

Os astrônomos já suspeitavam da presença do Sgr A* pela existência de estrelas em órbita de algo invisível, compacto e muito massivo no centro da Via Láctea. 

“Durante décadas, sabíamos de um objeto compacto que está no coração de nossa galáxia e é quatro milhões de vezes mais massivo que o nosso Sol”, disse a astrônoma Sara Issaoun, da Universidade de Harvard, em uma coletiva de imprensa em Garching, na Alemanha. “Hoje, neste exato momento, temos evidências concretas de que este objeto é um buraco negro”, acrescentou.

A imagem é a primeira representação visual direta da presença desse objeto, que não é visível a olho nu. Embora esteja dentro da Via Láctea, galáxia na qual fica o nosso sistema solar, o buraco negro está localizado a cerca de 27 mil anos-luz da Terra – em comparação, o Sol está a pouco mais de 8 minutos-luz da Terra.

Foto: Event Horizon Telescope Collaboration/NASA/Divulgação

Segunda imagem de um buraco negro

O trabalho envolveu mais de 300 cientistas no consórcio Event Horizon Telescope (EHT), que em abril de 2019 já havia revelado a primeira imagem de um buraco negro, o M87*, situado no centro da galáxia Messier 87.

“O EHT pode ver três milhões de vezes mais nítido que o olho humano”, explicou o cientista alemão Thomas Krichbaum, do Instituto Max Planck de Radioastronomia.

A foto divulgada nesta quinta, assim como a de 2019, não é do buraco negro em si, uma vez que ele não é visível, com forças gravitacionais tão extremas que não deixam nada escapar, nem mesmo a luz.

O que se vê é a sua sombra rodeada por uma estrutura anelar brilhante formada por gás, explica um comunicado do Observatório Europeu do Sul, que opera o radiotelescópio Alma. “Esta nova imagem captura a luz que se curva sob a enorme força da gravidade do buraco negro”, diz o texto.

A imagem foi obtida depois de os dados recolhidos das observações feitas em 2017 terem sido processados e analisados durante cinco anos com o auxílio de supercomputadores.

Buracos negros semelhantes

Apesar de os buracos negros Sgr A* e M87* serem muito parecidos, o do centro da Via Láctea é cerca de mil vezes menor e menos massivo do que o da galáxia Messier 87. Em ambos os casos, o gás circundante move-se à mesma velocidade, quase à velocidade da luz. No entanto, o gás leva entre dias e semanas para orbitar o M87* e apenas minutos para completar uma volta em torno do Sgr A*, tornando o brilho e o padrão do gás muito variáveis.

Para capturar a imagem, o EHT observou Sgr A* por várias noites por muitas horas seguidas, o mesmo processo usado para produzir a primeira imagem de um buraco negro em 2019.

Apesar de estar mais perto da Terra, ainda era difícil capturar a imagem. O brilho e o padrão do gás ao redor de Sgr A* mudavam rapidamente à medida que a equipe o observava.

“Era um pouco como tentar tirar uma foto nítida de um filhote correndo rapidamente atrás de seu rabo”, brincou o cientista do EHT Chi-kwan Chan, da Universidade do Arizona.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias

Publicidadespot_img
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE