InícioColuna Ponto e VírgulaBolsonaro usa almoço com Skaf para tentar mostrar prestígio com investidores

Bolsonaro usa almoço com Skaf para tentar mostrar prestígio com investidores

Segundas intenções

O almoço fora da agenda oficial do Planalto, entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Federação da Indústria de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, teve um objetivo maior do que a tentativa de garantir a vaga de candidato a vice do empresário, na chapa com o pupilo de Bolsonaro, Paulo Tarcísio de Freitas. Embora Skaf tenha articulado o encontro para ganhar prestígio público, Bolsonaro foi “forrar o estômago” no Morumbi com intenções ainda maiores.

De olho na Faria Lima

A indicação para a vaga de vice na chapa de Tarcísio foi tratada, mas Bolsonaro queria mais do encontro. Ele quer mostrar ao mercado e aos empresários da Faria Lima, que está com prestígio entre investidores. E esse esforço tem um objetivo muito claro: se fortalecer diante dos puxões de orelha que tem levado de aliados, depois da divulgação da carta que o governo dos Estados Unidos tem enviado a empresários daquele país falando dos riscos de investir do Brasil, por causa das ameaças de golpe de estado.

Orientações do marketing

O presidente Jair Bolsonaro, segundo uma assessora que não foi, mas que ajudou a cuidar dos detalhes da viagem, quer mostrar que entre investidores brasileiros, pelo menos, está tudo bem. E nada melhor que um afago do presidente da principal federação da indústria do Brasil para mandar esse recado. Emissários de Bolsonaro estão em contato com os donos das grandes fortunas do país, na tentativa de restaurar o apoio que teve nas eleições de 2018, mas que andou minguado, por causa da política econômica e principalmente das declarações de Bolsonaro nos últimos três anos. A equipe de marketing da campanha, segundo a fonte, tem orientado o tom das conversas.

***

Em busca de relevância

Depois de assimilar o golpe do abandono do ex-juiz Sérgio Moro, o Podemos vem se articulando internamente para ter relevância na corrida presidencial, uma vez que outro objetivo da legenda, que era integrar a frente da terceira via, acabou não vingando. O partido ainda não divulgou nomes, mas deve lançar candidatura própria ao palácio do Planalto ainda na semana que vem. Só vai esperar o lançamento do chamado nome de consenso, que sairá da aliança entre MDB, PSDB e Cidadania, na quarta-feira, 18. A esta coluna, um senador do Podemos disse que internamente o clima na legenda é de apreensão.

***

Sem “foi gras”

Prato considerado sofisticado no mundo da alta gastronomia, o “foi gras” pode estar com os dias contados no Brasil. É que a Comissão de Meio Ambiente (CMA) quer proibir produtos obtidos por meio de método de alimentação forçada de animais. O “foie gras” é justamente o resultado do acúmulo forçado de gordura nos fígados de patos ou gansos. Um projeto nesse sentido está sendo avaliado pelos parlamentares e o presidente da CMA, Jaques Wagner (PT-BA), diz que a medida é uma evolução da sociedade. O texto poderá seguir diretamente para a Câmara, se não houver recurso para votação no Plenário do Senado.

***

Estanquem a sangria

O presidente Jair Bolsonaro deu uma ordem para que toda a equipe econômica do governo e todo o aporte jurídico do Planalto entrem em campo na busca de uma solução para tentar conter o aumento do diesel e estancar qualquer possibilidade de greve dos caminhoneiros, às vésperas da campanha eleitoral deste ano. Bolsonaro que se beneficiou a greve de caminhoneiros de 2018 não quer ser o alvo de outra igual. O recurso ao Supremo Tribunal Federal para tentar garantir a redução do ICMS sobre o combustível foi determinação dele, que teme que a reunião de representantes da categoria marcada para este domingo não termine em indicativo de paralisação.

***

Estratégias de Pacheco

A aproximação junto aos ministros do Supremo Tribunal Federal tem sido uma das principais estratégias do presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) para ganhar cada vez mais relevância na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Depois de afirmar publicamente que não deixaria o STF e os Ministros isolados na onda de ataques contra a Suprema Corte, Pacheco mandou dizer aso presidente do TSE, Edson Fachin, que a partir da semana que vem adotará uma postura ainda mais ostensiva na defesa do tribunal, das urnas e das eleições, segundo uma fonte do gabinete do presidente do Senado. Com isso, Pacheco ofusca cada vez mais o papel no presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) e se firma como o principal líder do no Legislativo.

***

Paco Britto na berlinda

É cada dia delicada e melancólica a situação do vice-governador Paco Britto, no Palácio do Buriti, sede do Governo do Distrito Federal. Embora já tenha dito em várias ocasiões que o Plano A dele é seguir como candidato a vice de Ibaneis Rocha, e que o Plano B é fazer o Plano A dar certo, é cada vez mais remota a chance de isso acontecer. Uma fonte próxima ao governador disse que as chances da ex-ministra Damares Alves desbancar Paco Britto são cada vez maiores e que um dos trunfos dela é levar as igrejas evangélicas a apoiarem a reeleição do atual governador.

**#**

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias

Publicidadespot_img
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE