InícioBrasilCargas do novo coronavírus têm elevação nos esgotos de Brasília e de...

Cargas do novo coronavírus têm elevação nos esgotos de Brasília e de mais quatro capitais brasileiras

Após os feriados prolongados de 15 e 21 de abril, a Rede Monitoramento Covid Esgotos detectou o aumento das cargas do coronavírus na capital federal, BH, Curitiba, Fortaleza e RJ. Sem variação somente em Recife

O boletim de acompanhamento nº 14/2022, da Rede Monitoramento Covid Esgotos, com dados das semanas epidemiológicas 14 (de 3 a 9 de abril) e de 17 (de 24 a 30 de abril), identificou a manutenção das baixas cargas do novo coronavírus nos esgotos de cinco das seis capitais acompanhadas: Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro.

Exceto na capital pernambucana, nas outras cinco cidades as cargas tiveram leve aumento na semana 17, após os feriados prolongados de 15 e 21 de abril, mas seguem em patamar considerado baixo.

Em Curitiba, a carga viral teve uma elevação significativa nesse período, o que ensejou na nota de alerta emitida pela Rede em 5 de maio.

Desde o início da pandemima de Covid-19, o monitoramento dos esgotos tem sido uma ferramenta para o acompanhamento dos efeitos das medidas de flexibilização para a circulação do novo coronavírus.

Carga viral em Brasília

Entre as semanas epidemiológicas 14 (de 3 a 9 de abril) e 17 (de 24 a 30 de abril), a carga do novo coronavírus nos esgotos das oito estações de tratamento de esgotos (ETEs) do Distrito Federal monitoradas se manteve baixa.

No entanto, a carga subiu sistematicamente no período, passando de 11,7 bilhões de cópias do novo coronavírus por dia para cada 10 mil habitantes (na semana 14) para 60,6 bilhões de cópias (na semana 17).

Os feriados prolongados de 15 e 21 de abril podem estar associados a essa elevação da carga viral nos esgotos do Distrito Federal.

Entre as semanas epidemiológicas 14 e 17, os pontos monitorados apresentaram concentrações virais que variaram entre não detectadas, baixas (1 a 4 mil cópias do novo coronavírus por litro das amostras) e intermediárias (entre 4 mil e 25 mil cópias por litro).

Casos Covid-19 no DF

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Distrito Federal informa que nesta quarta-feira, 11, foram notificados 2 óbitos e que até a amanhã desta quinta-feira, não houve registro de mortes por Covbid-19.

Até às 17h de ontem, foram notificados no Distrito Federal 698.244 casos confirmados de Covid-19, sendo 235 casos novos em relação ao dia anterior.

Do total de casos notificados, 685.100 (98,1%) estão recuperados e 11.666 (1,7 %) evoluíram para óbito. Do total de óbitos, (1.013) são residentes de outros estados, sendo que 871 residiam no Goiás.

Com relação ao local de residência dos casos, 622.273 (89,1%) residem no DF e 45.549 (6,5%) residem em outras Unidades Federadas (UF), sendo que os municípios do entorno respondem pela maior proporção dos casos de outras UF 36.459 (5,2 %).

Auxílio na tomada de decisões

A Rede Monitoramento Covid Esgotos, lançada em abril de 2021, acompanha as cargas virais e concentrações do novo coronavírus no esgoto de seis capitais e cidades que integram as regiões metropolitanas de: Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro.

De acordo com os coordenadores da Rede, esse trabalho, que se configura como uma das maiores iniciativas brasileiras de monitoramento da Covid-19 no esgoto, busca ampliar as informações para o enfrentamento da pandemia atual.

Os resultados gerados sobre a ocorrência do novo coronavírus no esgoto das cidades em questão podem auxiliar as autoridades locais de saúde na tomada de decisões relacionadas à manutenção ou flexibilização das medidas de controle para a disseminação da Covid-19.

Também podem fornecer alertas precoces dos riscos de aumento de incidência do vírus de forma regionalizada.

Parcerias com universidades

A Rede é coordenada pela Agência Nacional de Água (ANA), Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto (INCT ETEs Sustentáveis) com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Conta ainda com apoio das universidades de Brasília (UnB), Minas Gerais (UFMG), Pernambuco (UFPE), Ceará (UFC), Paraná (UFPR) e federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Além disso, a Rede conta com a parceria de companhias de saneamento locais e secretarias estaduais de Saúde.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias

Publicidadespot_img
WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE