InícioBrasilMorre poeta amazonense Thiago de Mello, autor do ‘Estatuto do Homem’

Morre poeta amazonense Thiago de Mello, autor do ‘Estatuto do Homem’

Ícone da literatura regional e brasileira, estava com 95 anos. Ainda não se sabe a causa da morte do poeta, que nasceu em Barreirinha, no Amazonas

Morreu na manhã desta sexta-feira, 14, aos 95 anos, o poeta e tradutor brasileiro, Thiago de Mello.

Natural do município de Barreirinha, no Amazonas, Thiago de Mello é um dos poetas mais influentes e respeitados no país, reconhecido como um ícone da literatura regional. Tem obras traduzidas para mais de trinta idiomas.

Ele ficou conhecido internacionalmente pela obra Estatutos do Homem
(Ato Institucional Permanente) de 1977. O poema-protesto foi inspirado na indignação do poeta ao ver a tortura ser empregada como método de  interrogatório.

Antes, porém, entre os anos de 1961 e 1964, foi adido cultural em Santiago, no Chile, onde conheceu o poeta Pablo Neruda, de quem fez a tradução de uma antologia poética.

O poeta também foi adido cultural na Bolívia, Peru e dirigiu o departamento cultural da Prefeitura do Rio de Janeiro no final dos anos de 1950.

Logo depois do golpe militar de 1964, Thiago renunciou ao posto de adido cultural do Chile e voltou ao Brasil.

Exílio

Em 1966, Thiago de Mello publicou “A Canção do Amor Armado” e “Faz Escuro Mais Eu Canto” (1968).

Por causa de sua obra poética de contestação, foi perseguido pelo governo militar. Retornou para Santiago, onde permaneceu exilado durante dez anos.

Em 1975, recebeu o Prêmio de Poesia da Associação Paulista de Críticos de Arte, pelo livro “Poesia Comprometida Com a Minha e a Tua Vida”.

Manifestações de pesar

“Lamentamos a partida do poeta amazonense Thiago de Mello, um dos mais influentes do país e ícone da nossa literatura”, manifestou-se o senador Plínio Valério (PSDB-AM) em suas redes sociais.

Também pelo Twitter, a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) declarou:

” Não há como se converter a sexta que perdemos Thiago de Mello em uma manhã de domingo, apesar dele próprio ter decretado que todos os dias poderiam ser leves. Faleceu hoje o  grande poeta amazonense que emocionou o Brasil e o mundo com suas palavras”.

34a bienal de São Paulo

O Jornal Literário de Pernambuco lembrou que a 34ª Bienal de São Paulo de 2021 teve como tema a frase “Faz escuro mas eu canto”, um verso do poeta amazonense Thiago de Mello escrito em 1965.

Ainda não se sabe a causa da morte do poeta, que nasceu em Barreirinha, no Amazonas.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias