InícioEsportesDjokovic entra em sorteio do Aberto da Austrália mesmo sob incerteza sobre...

Djokovic entra em sorteio do Aberto da Austrália mesmo sob incerteza sobre visto

O sérvio vai enfrentar o compatriota Miomir Kecmanovic na primeira rodada

O tenista Novak Djokovic foi incluído no sorteio oficial das chaves de simples do Aberto da Austrália nesta quinta-feira, embora permaneça a incerteza sobre se o governo australiano cancelará o visto do cabeça de chave número 1 do torneio pela segunda vez. O sérvio vai enfrentar o compatriota Miomir Kecmanovic na primeira rodada.

O ministro de Imigração, Cidadania, Serviços a Imigrantes e Relações Multiculturais, Alex Hawke, está ponderando exercer o seu poder discricionário para revogar o visto de Djokovic por causa da preocupação com a isenção médica do astro dos requisitos de vacinação contra a covid-19 da Austrália.

O atual campeão do Grand Slam, de 34 anos, que fez mais um treino na Rod Laver Arena nesta quinta-feira, deve entrar em quadra para o jogo de estreia na segunda ou terça. A Tennis Australia, organizadora do primeiro Major da temporada, adiou o sorteio oficial por mais de uma hora, sem dizer o motivo.

A polêmica assumiu uma importância que vai além do tênis: intensificou um debate global sobre os direitos dos não vacinados e se tornou uma questão política complicada para o primeiro-ministro Scott Morrison em sua campanha pela reeleição. A Austrália deve realizar uma eleição em maio e, embora o seu governo tenha conquistado apoio em casa por sua postura dura em relação à segurança das fronteiras antes e durante a pandemia, não escapou das críticas sobre o manuseio incorreto do visto de Djokovic. Ele se recusou nesta quinta a comentar sobre o visto do tenista.

Djokovic, um cético em relação a vacinas, alimentou a raiva generalizada na Austrália na semana passada, quando anunciou que estava indo a Melbourne para o Aberto da Austrália com uma isenção médica dos requisitos para os visitantes serem vacinados contra a covid-19. Em sua chegada, oficiais da Força de Fronteira Australiana decidiram que sua isenção era inválida e ele foi mantido ao lado de requerentes de asilo em um hotel de detenção de imigração por vários dias.

Um tribunal, na última segunda-feira, permitiu que ele ficasse alegando que as autoridades agiram de maneira desproporcional em sua entrevista em um processo de sete horas no meio da noite. O governo agora deve decidir se deixa Djokovic permanecer na Austrália e lutar pelo recorde de 21 títulos de Grand Slam – está empatado com o suíço Roger Federer e com o espanhol Rafael Nadal.

OUTROS JOGOS – Djokovic também conheceu seus dois maiores obstáculos rumo a mais uma final no primeiro Grand Slam da temporada, onde buscará o 10.º título. Eles atendem pelo nome de Nadal e Alexander Zverev, que caíram no mesmo lado da chave do sérvio e podem enfrentá-lo em uma eventual semi. O alemão e o espanhol, contudo, se cruzam antes e podem se encarar nas quartas de final.

O caminho do líder do ranking para a semifinal não deve ser dos mais complicados, encarando provavelmente o americano Tommy Paul na segunda rodada e o italiano Lorenzo Sonego na terceira. Nas oitavas, os principais desafios são o francês Gael Monfils e o chileno Cristian Garin. Já nas quartas, o maior perigo deve ser o italiano Matteo Berrettini.

Assim como Djokovic, Zverev também abre campanha em duelo alemão contra Daniel Altmaier. Na segunda rodada, o espanhol Feliciano Lopez ou o local John Millman cruzam com o cabeça de chave 3, que só deve ter trabalho a partir das oitavas contra o canadense Denis Shapovalov, ou o americano Reilly Opelka, que terá uma estreia duríssima contra o sul-africano Kevin Anderson.

Nadal pode ter um pouco mais de trabalho, não na estreia contra o americano Marcos Giron, mas já a partir da terceira rodada, quando deve cruzar com o russo Karen Khachanov. Nas oitavas de final, outro tenista da Rússia pode pintar pelo caminho, o 18.º favorito Aslan Karatsev, que fez boa campanha no torneio no ano passado. Um perigo ainda maior nesta fase é o polonês Hubert Hurkacz.

Entre os quatro principais favoritos ao título, o russo Daniil Medvedev é o que pode ter o começo mais complicado. Não muito pela estreia contra o suíço Henri Laaksonen, mas pela grande possibilidade de enfrentar já na segunda rodada o australiano Nick Kyrgios, que costuma jogar muito bem em casa.

Kyrgios abre campanha contra um quali e tem tudo para desafiar Medvedev na fase seguinte. Embora seja o atual número 2 do mundo, o russo ainda não sabe o que é vencer o australiano, que ocupa no momento o modesto 114.º lugar no ranking, mas que venceu os dois embates anteriores entre eles, ambos em 2019 – um no saibro de Roma e outro no piso duro de Washington.

Passando por este possível bom teste na segunda rodada, o vice-líder do ranking tem tudo para deslanchar e não ter grandes dificuldades antes das quartas, quando caras como o canadense Felix Auger-Aliassime, o croata Marin Cilic, campeão do US Open em 2015, e o compatriota Andrey Rublev podem cruzar com Medvedev

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias