InícioMundoQuebec planeja cobrar imposto adicional de não vacinados contra covid

Quebec planeja cobrar imposto adicional de não vacinados contra covid

Outra medida anunciada pelo governo de Quebec é a exigência do comprovante vacinal para a compra de bebidas alcoólicas e maconha na cidade

A província canadense de Quebec, a segunda mais populosa do país, planeja fazer com que adultos que se recusam a tomar vacina contra a covid-19 paguem uma “contribuição de saúde”. A medida deverá estimular o debate sobre direitos individuais e responsabilidade social. As informações são da Agência Reuters.

O primeiro-ministro canadense, François Legault, disse, em entrevista na última terça-feira (11), que a proposta, cujos detalhes ainda estão sendo definidos, não se aplicaria àqueles que não podem ser vacinados por razões médicas.

Pessoas não vacinadas prejudicam as demais, e o Ministério das Finanças da província está determinando quantia “significativa” que os moradores não vacinados seriam obrigados a pagar, disse Legault, acrescentando que o valor não seria inferior a 100 dólares canadenses (US$ 79,5).

Outra medida anunciada pelo governo de Quebec é a exigência do comprovante vacinal para a compra de bebidas alcoólicas e maconha na cidade. O novo decreto fez a procura pelo imunizante subir de 1,5 mil para mais de 6 mil agendamentos por dia segundo ministro da Saúde da província canadense, Christian Dubé.

O decreto que passa a valer a partir da próxima terça-feira (18), diz que aqueles que não estiverem vacinados serão proibidos de entrar nas lojas associadas à Sociedade de Álcools do Québec (SAQ) e Sociedade de Cannabis do Québéc (SQC), órgãos que controlam a venda de álcool e maconha na região. A comercialização da maconha para fins recreativos é legalizada no Canadá desde 2018.

Governos em todo o mundo têm estabelecido restrições de movimento aos não vacinados, mas um imposto abrangente sobre todos os adultos nessa condição pode ser medida rara e controversa.

Embora a cobrança possa ser justificada no contexto de emergência de saúde, sobreviver a provável contestação judicial dependerá dos detalhes, disse Carolyn Ells, professora de medicina e ciências da saúde da Universidade McGill.

Ela mnifestou surpresa com o fato de o governo dar um passo tão “dramático” agora, quando ainda restam opções para expandir a obrigatoriedade de vacinas.

Províncias do Canadá enfrentam aumento exponencial de casos de covid-19, que tem forçado dezenas de milhares de pessoas ao isolamento e sobrecarregado o sistema de saúde.

A variante Ômicron, altamente transmissível, dificultou contenção da disseminação, e especialistas em saúde alertam para a importância de se vacinar com duas ou três doses.

*Com informações da Agência Reuters

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias