InícioMundoAutoridades do Casaquistão detêm mais 1.678 pessoas após onda de protestos

Autoridades do Casaquistão detêm mais 1.678 pessoas após onda de protestos

As prisões são por suposta participação nos protestos que abalaram a ex-República soviética na semana passada, os mais graves desde que o país conquistou a independência há três décadas

Autoridades do Casaquistão informaram nesta quarta-feira (12) que detiveram mais 1.678 pessoas nas últimas 24 horas por suposta participação nos violentos protestos que abalaram a ex-República soviética na semana passada, os mais graves desde que o país conquistou a independência há três décadas.

As detenções adicionais, relatadas pelas autoridades de Almaty, a maior cidade do país e epicentro dos atos, elevaram o número total de prisões para cerca de 12 mil. Mais de 300 investigações criminais sobre distúrbios em massa e agressões a policiais foram abertas.

Protestos contra a alta dos preços dos combustíveis eclodiram na nação de 19 milhões de habitantes da Ásia Central, rica em petróleo e gás, em 2 de janeiro e rapidamente se espalharam por todo o país, com slogans políticos refletindo um descontentamento mais amplo com o governo autoritário do país.

À medida que a agitação aumentava, as autoridades tentaram acalmar os manifestantes e anunciaram um teto para os preços dos combustíveis por 180 dias. O gabinete ministerial renunciou e Nursultan Nazarbayev, ex-líder do país, foi deposto de seu influente cargo de chefe do Conselho de Segurança Nacional.

Ainda assim, nos dias seguintes, as manifestações se tornaram violentas, com dezenas de civis e policiais mortos.

O presidente cazaque, Kassym-Jomart Tokayev, atribuiu as manifestações a “terroristas” apoiados por estrangeiros e solicitou ajuda da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (CSTO, na sigla em inglês), uma aliança militar liderada pela Rússia e composta por seis ex-Estados soviéticos. O grupo autorizou o envio de 2,5 mil soldados ao Casaquistão.

Na terça-feira, Tokayev revelou que CSTO começará a retirar suas tropas esta semana, pois completaram sua missão e a situação no país se estabilizou.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias