InícioMundoAlemanha tem recorde de 80 mil casos de covid-19 em um dia

Alemanha tem recorde de 80 mil casos de covid-19 em um dia

Foi a primeira vez que o número diário de casos passou de 80 mil. O recorde anterior era de mais de 76 mil infecções, computado em 26 de novembro passado

A Alemanha registrou nesta quarta-feira (12) 80.430 novos casos de covid-19 em 24 horas, a maior marca diária no país desde o início da pandemia, em meio à rápida disseminação da variante ômicron do novo coronavírus. Foi a primeira vez que o número diário de casos passou de 80 mil. O recorde anterior era de mais de 76 mil infecções, computado em 26 de novembro passado.

Mais 384 mortes por covid-19 foram registradas nesta quarta. Com o isso, o total de óbitos no país desde o início da pandemia subiu para 114.735. O de casos chegou a mais de 7,6 milhões – sendo que o número real deve ser muito maior, pois muitas infecções não são diagnosticadas.

A incidência de casos em sete dias, chave para as políticas anticovid no país, vem subindo constantemente desde o início do ano, chegando nesta quarta a 407,5 infecções a cada 100 mil habitantes. Na véspera, a taxa estava em 387,9, e há uma semana, em 258,6.

Há grandes diferenças entre as regiões. A cidade-estado de Bremen tem atualmente a maior incidência, com 1.296,8 casos a cada 100 mil habitantes em sete dias, seguida da cidade-estado de Berlim (856,4). A Saxônia, que há pouco tempo registrava a maior incidência, tem agora a menor taxa (239,5).

Supõe-se que essas diferenças regionais tenham a ver com o fato de que a variante ômicron, altamente contagiosa, ter começado a se disseminar primeiro no norte da Alemanha e com o maior risco de contágio em grandes cidades.

Restrições para não vacinados

Até o momento, 72,2% da população alemã foi completamente vacinada contra a covid-19 – taxa menor do que a registrada em outros países da Europa. Segundo dados do Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental de prevenção e controle de doenças, 44,2% dos alemães já receberam uma dose de reforço.

O governo vem tentando estimular a vacinação com restrições para não vacinados e para quem ainda não tomou a dose de reforço, o que vem motivando protestos no país.

Transmissibilidade sem precedentes

Com a disseminação da ômicron, que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), já se tornou a variante dominante no mundo, especialistas pressupõem que logo será difícil evitar uma infecção.

Nesta terça-feira, a OMS alertou que mais da metade da população da Europa poderá ter contraído a variante nos próximos dois meses se os números de infecções continuarem nas taxas atuais.

Também o imunologista Anthony Fauci, o principal assessor do governo dos EUA em relação à pandemia, previu que, mais cedo ou mais tarde, a ômicron, “com seu grau de eficiência de transmissibilidade sem precedentes”, infectará quase todas as pessoas.

Fauci afirmou que também vacinados devem ser infectados, mas que a maioria deles não terá quadros graves da doença, e que os não vacinados serão os mais duramente atingidos.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias