InícioEsportesBruno Henrique brilha outra vez e Flamengo decide Libertadores com o Palmeiras

Bruno Henrique brilha outra vez e Flamengo decide Libertadores com o Palmeiras

Com a confirmação da final brasileira, o São Paulo perderá seu reinado de único tricampeão da América no País

Últimos campeões, Flamengo e Palmeiras vão decidir a Copa Libertadores no dia 27 de novembro, no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai. Pela segunda edição seguida a decisão reunirá dois brasileiros, após o time paulista superar o Santos no começo do ano. Os cariocas voltam à final após dois anos com nova vitória sobre o Barcelona, em Guayaquil, pelos mesmos 2 a 0 do Rio. Herói no Maracanã, Bruno Henrique novamente definiu, com outros dois gols.

Com a confirmação da final brasileira, o São Paulo perderá seu reinado de único tricampeão da América no País. Os finalistas já têm dois títulos cada e vão se igualar ao time do Morumbi em conquistas da Libertadores. O Flamengo ganhou do River Plate na final em 2019, enquanto o Palmeiras é o atual campeão ao despachar o Santos no Maracanã.

Serão dois meses de espera até nova final entre os rivais, que já decidiram a Supercopa do Brasil no começo do ano, com conquista dos cariocas nos pênaltis, no Mané Garrincha, no Distrito Federal. Até lá, vão tentar buscar o líder Atlético-MG na disputa pelo Brasileirão.

Com Filipe Luís e Arrascaeta de volta, o Flamengo prometia ser ofensivo em busca de um gol que praticamente definiria a vaga. Mal a bola rolou no Monumental, porém, e Andreas Pereira já levou cartão amarelo. Com menos de um minuto o flamenguista já estava pendurado. Herói no primeiro jogo, Bruno Henrique iniciou o duelo no Equador sendo caçado, sofrendo duras chegadas. Para piorar, o zagueiro David Luiz caiu sentindo lesão muscular na virilha com somente sete minutos. Acabou substituído.

Empurrado pela torcida, o Barcelona queria buscar um gol rápido para pressionar os cariocas. Mas a estratégia que deu certo foi a de Renato Gaúcho. O técnico queria explorar os espaços e festejou com 17 minutos.

Everton Ribeiro serviu Bruno Henrique com precisão. O atacante driblou o goleiro e ampliou ainda mais a já ótima vantagem carioca. Com 1 a 0 ao Flamengo, apenas quatro gols dos equatorianos impediriam uma final brasileira. Em vantagem, os visitantes queriam mais e Andreas Pereira carimbou a trave após receber de Bruno Henrique.

Quando tentou reagir, o Barcelona esbarrou em defesa difícil de Diego Alves. O lance não assustou os cariocas, que se sentiam muito tranquilos em campo. Tocando a bola sem pressa e indo ao ataque apenas na boa, a equipe brasileira administrava o tempo. A meta era não deixar o Barcelona voltar para a disputa. Nada de “inflamar” a torcida.

Com vantagem parcial no intervalo, o Flamengo tinha nova preocupação. Bruno Henrique foi para o vestiário com dores na coxa. Substituição? O atacante voltou para a etapa final para melhorar ainda mais seus números no confronto e na Libertadores

Em nova assistência de Everton Ribeiro, que recebeu de Gabriel Barbosa e poderia tentar anotar, o atacante ampliou a vantagem. Provocado, mandou por entre as pernas do defensor e saiu com as mãos na orelha querendo ouvir o grito dos torcedores. Foi seu quarto gol contra o time de Guayaquil e o sexto na competição. Uma ducha de água fria nas pretensões do Barcelona.

Mesmo com a vaga na mão, Renato Gaúcho usou seu time ideal o máximo que pôde em campo. Queria dar mais entrosamento com a volta de Arrascaeta e Filipe Luís e com Rodrigo Caio “inteiro”. Desde sua chegada, jamais conseguiu ter todos no campo. Faltava apenas David Luiz, que saiu no começo. Mas a ordem era ver o comportamento na pressão.

Na hora que a torcida começou a jogar objetos em campo e os cartões amarelos começaram a surgir, enfim o descanso merecido para o herói Bruno Henrique e para Filipe Luís. Restando 20 minutos, bastava administrar.

De volta ao estádio após muito tempo por causa da pandemia de covid-19, os torcedores do Barcelona se divertiram com gritos de olé nos minutos finais a cada toque da equipe. Mesmo eliminados, eles seguiram aplaudindo o time, vibraram com as roubadas de bola e vaiaram o Flamengo.

A festa, contudo, foi carioca. E o resultado positivo também foi histórico para o técnico Renato Gaúcho. Contando a época de jogador e também a passagem pelo comando do Grêmio, o treinador chegou a 50 vitórias na Libertadores.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias