InícioJustiçaAlessandro Vieira e Fabiano Contarato protocolam notícia-crime no STF contra Aras

Alessandro Vieira e Fabiano Contarato protocolam notícia-crime no STF contra Aras

Na visão dos parlamentares, Aras é omisso diante do que chamam de "crimes e arbitrariedades" do presidente Jair Bolsonaro

Os senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Fabiano Contarato (Rede-ES) protocolaram notícia-crime no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o procurador-geral da República, Augusto Aras, por suposto crime de prevaricação. Na visão dos parlamentares, Aras é omisso diante do que chamam de “crimes e arbitrariedades” do presidente Jair Bolsonaro. A representação é dirigida ao gabinete da ministra Cármen Lúcia.

“O comportamento desidioso do Procurador-Geral da República fica evidente não só pelas suas omissões, mas também pelas suas ações que contribuíram para o enfraquecimento do regime democrático brasileiro, do sistema eleitoral pátrio e para o agravamento dos impactos da covid-19 no Brasil”, diz a peça. “Não se pode ignorar que o conjunto de fatos demonstra patentemente que o Procurador-Geral da República procedeu de modo incompatível com a dignidade e com o decoro de seu cargo”, acrescenta.

Vieira e Contarato pedem ao Supremo que encaminhe a notícia-crime ao Conselho Superior do Ministério Público Federal, órgão responsável por analisar a conduta do PGR. Os dois sustentam que Aras “permaneceu inerte” diante das acusações feitas, sem provas, por Bolsonaro sobre a segurança das urnas eletrônicas. “Foi condescendente com afrontoso atentado ao Estado Democrático de Direito”, diz o texto. “Fica evidente, assim, que o Procurador-Geral da República tem se recusado, de modo reiterado, a praticar atos que lhe incumbem”.

Prevaricação é um crime previsto no Código Penal brasileiro que consiste em deixar de praticar – ou praticar indevidamente – um ato de ofício disposto em lei.

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Últimas Notícias